REFLEXÕES TEOLÓGICAS

 

 

DIA DE CONTAR ESTRELAS

 

“Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes” (Gênesis 15.5)

 

Abraão (Abrão à época) havia deixado sua terra natal, Ur dos Caldeus. Tinha peregrinado pelo Egito e lutado em defesa de Ló, seu sobrinho. Ele havia enriquecido no decorrer dos anos. A gratidão estava em seu coração, pois, antes que houvesse a Lei dada a Moisés, ofereceu o dízimo de tudo a Melquisedeque, sacerdote do Altíssimo. Porém, Abraão ainda esperava o cumprimento da promessa. Que promessa? “De ti farei uma grande nação [...]” (Gênesis 12.20).

Certa noite, Abraão foi visitado por Deus por meio de uma visão e ouviu do Senhor uma palavra de encorajamento: “Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande” (Gênesis 15.1). Como ocorre entre amigos, Abraão desabafou: “[...] continuo sem filhos [...] a mim não me concedeste descendência e um servo nascido em minha casa será o meu herdeiro” (Gênesis 15.2,3).

Não sei como, se tomado pela mão ou não, Abraão foi levado para fora de sua tenda e desafiado a contar as estrelas. Então, sob o céu coalhado de estrelas, ouviu do Senhor: “Será assim a tua posteridade”. Foi suficiente: Abraão creu no Senhor.

Na história de Abraão, estrelas são uma bela representação para as bênçãos divinas. Como brilham no céu as estrelas, descem do céu as bênçãos até nós: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes” (Tiago 1.17). Não é difícil alguém se perder na contagem das estrelas. Inumeráveis são também as bênçãos celestes. Se transformássemos cada ano de aniversário de nossa igreja em uma estrela, considerando que completamos 151 anos de existência, seriam 151 estrelas. Porém, se neste aniversário considerássemos os dias como bênçãos, os 151 anos se transformariam em mais de 55 mil estrelas. Outro modo seria contar as pessoas que pertenceram à nossa igreja, aquelas que pertencem hoje e aqueles que ainda haverão de pertencer-lhe. Quantas serão as bênçãos?

Descendemos espiritualmente de Abraão, o homem que foi desafiado a contar estrelas. Abraão, fora de sua tenda, contemplando as estrelas, resume o que celebramos nestes 151 anos de existência da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo: a fé no Deus que derrama incontáveis bênçãos sobre seu povo. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó, o nosso Deus.

Hoje é dia de festa! Dia de contar estrelas!

 

Rev. Valdinei Aparecido Ferreira

Professor da FATIPI

 

 

Required

Submitting Form...

The server encountered an error.

Form received.

Required

Fatipi

Faculdade de Teologia de São Paulo

Rua Genebra, 180 - Bela Vista

01316-010 | F 11. 3111-7300

secretaria@fatipi.edu.br

MAntenedora

Fundação Eduardo Carlos Pereira

Rua Genebra, 180 - Bela Vista

01316-010 | F 11. 3111-7318
fecp@fecp.org.br

IPIB

Igreja Presbiteriana Indep. do Brasil

Rua da Consolação, 2.121

01301-100 | F 11. 2596-1903

www.ipib.org